Pular para o conteúdo principal

De executiva de sucesso a religiosa de clausura


Uma “vocação relâmpago” que está comovendo milhares de pessoas

Nicoletta Falzoni era executiva de sucesso de uma multinacional, entretanto, em uma peregrinação mariana, descobriu que o Senhor a chamava para pedir que entregasse e Ele a sua vida através da vocação religiosa em um mosteiro de clausura.
“Diante do chamado de Deus se percebe um temor”, afirmou. “Como podemos com todos os nossos limites, nossas fraquezas, nossas infidelidades, estar a altura da vocação e ‘nos lançar por inteiro’?”, perguntou Nicoletta, que desde o dia 6 de maio tomou o nome de Irmã Maria Fides.
Em declarações ao semanário ‘L’Azione’, da Diocese de Vittorio Veneto (Itália), a religiosa afirma que o seu chamado pode se definir como uma “vocação relâmpago”.
Bem-sucedida gerente de marca da multinacional do tabaco Camel, Nicoletta estava acostumada ao mundo agitado dos negócios. Entretanto, em agosto de 2011 fez uma peregrinação a Medjugorje e, até a data que pediu entrar na Abadia Beneditina Mater Ecclesiae – na ilha italiana de San Julio –, passou um ano “pleno pelo crescente desejo de rezar, em comunhão com Maria e Jesus”.
Natural de Vazzola, Nicoletta realizou os seus votos perpétuos no dia 6 de maio, depois de cinco anos de noviciado. A cerimônia foi celebrada pela abadessa Madre Maria Canopi, de 86 anos, 44 dos quais é religiosa de clausura.
“Reconheci – acrescentou – que através deste chamado o Senhor me ofereceu o tesouro escondido pelo qual vale a pena deixar o resto, a pérola preciosa diante da qual qualquer outro bem perde o valor”.
Nesse sentido, com a experiência que Nicoletta teve como mulher de negócios, assinalou que “estamos acostumados a planejar, a organizar e queremos ter tudo sob controle, ao contrário o Senhor nos pede para entregar-lhe toda a nossa vida sem possibilidade de ter algum salva-vidas ou um paraquedas”.
“O mundo nos oferece tanto: carreira, sucesso, riqueza, realização, autoafirmação, e tudo isso com certeza é muito atraente”. Entretanto, “o chamado de Deus está na direção contrária” e “nos convida e garante ‘Não tenham medo’ e a sua fidelidade dura para sempre”.
Durante a entrevista, Madre Maria Fides também assinalou que a sociedade de hoje “tem tanta necessidade de uma vida de oração e de silêncio”.
Nesse sentido, recordou a importância de “recuperar oração e recitação do Rosário, especialmente na família”. “Nada nos une mais do que rezar juntos e isso também pode ser uma ajuda para combater a falta de comunicação, devido ao uso cada vez mais frequente dos telefones, que sempre estão em nossas mãos, inclusive na mesa”, acrescentou.
A religiosa de clausura disse que na atual sociedade tecnológica, “pode ??transmitir em tempo real notícias que se difundem de um lado ao outro da Terra, mas sempre deixa mais espaço para uma realidade dramática: quanto mais as distâncias a nível mundial diminuem e os tempos se reduzem, mais cavam um abismo de solidões insondáveis”.
“Se é fácil estar ciente do que acontece no outro lado do mundo, torna-se paradoxalmente mais difícil estabelecer um verdadeiro diálogo com o vizinho da casa e entre os membros da mesma família”.
“Esta é a proximidade e a ajuda que com a nossa escolha podemos transmitir, segundo o que afirmam estas palavras de Jan Leclercq: ‘os monges têm este privilégio de continuar olhando para o céu. Eles sabem que não verão o Senhor: viverão na fé, mas permanecerão lá. A sua cruz será amar sem ver e, entretanto, sempre contemplar, de fixar o olhar unicamente em Deus, invisível e presente’”.
“Seu testemunho perante o mundo – escreveu Leclercq – será mostrar, com a sua própria existência, a direção para o lugar que é preciso olhar. O seu trabalho será apressar através da oração e do desejo, o cumprimento do Reino de Deus”.
Finalmente, a Irmã Maria Fides expressou que o seu desejo “é de não ter medo de dizer ‘sim’ a Jesus e citou as belíssimas palavras de São João Paulo II: ‘Não tenham medo, abram as portas de par em par a Cristo’”.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Novena dos "54 terços"

A "Novena do Rosário de 54 dias" é uma ininterrupta série de Rosários em honra de Nossa Senhora, revelada à doente incurável Fortuna Agrelli, por Nossa Senhora de Pompéia, em Nápoles, Itália, no ano de 1884. Por 13 meses Fortuna Agrelli sofria de terríveis dores e nem mesmo os médicos mais célebres conseguiam curá-la. Em 16 de Fevereiro de 1884, a menina e seus pais começaram uma novena do Rosário. A Rainha do Santo Rosário a premiou com uma aparição a 3 de março. Maria sentava-se sobre um alto trono, contornado por numerosas figuras; trazia o Seu Divino Filho sobre o colo e na mão um rosário. Nossa Senhora e o Menino Jesus estavam acompanhados por São Domingos e Santa Catarina de Sena. O trono estava decorado com flores, a beleza de Nossa Senhora era maravilhosa. A Santa Virgem disse: "Filha, você me invocou com vários títulos e sempre obteve favores de mim. agora, posto que me invocou com o título que muito me agrada, 'Rainha do santo Rosário', não posso mais …

ALGUMAS FRASES SOBRE NOSSA SENHORA

"Deus reuniu todas as águas e chamou de 'mar'. Reuniu todas as graças e as chamou de 'Maria'! (São Luiz Maria Grignon de Montfort)

"São Bernardo diz que converteu mais almas por meio da Ave-Maria, do que através de todos os seus sermões" (São João Maria Vianney)

"Agradecemos a Nossa Senhora, pois foi ela quem nos trouxe Jesus. (São Pio de Pietrelcina)

"Jamais de ouviu dizer no mundo que alguém tenha recorrido com confiança a esta Mãe Celeste, sem que não tenha sido prontamente atendido" (Dom Bosco)

"Deus depositou a plenitude de todo o bem em Maria, para que nisto conhecêssemos que tudo o que temos de esperança, graça e salvação, dela deriva até nós" (São Boaventura)

"A maior alegria que podemos dar a Maria Santíssima é a de levarmos Jesus Eucarístico no nosso peito" (Santo Hilário)

"Sabemos muito bem que a Virgem Santíssima é a Rainha do Céu e da Terra, mas ela é mais Mãe que Rainha" (Santa Terezinha do Menino Jesu…

Oração a Nossa Senhora da Boa Morte

"Nossa Senhora, nossa mãe divina, precisamos de vosso auxílio e proteção mas uma vez. Vós que sofrestes a grande dor de perder vosso Filho, fazei-nos resignados perante os desígnios de Deus, ajudai-nos a descobrir o sentido da vida e da morte. Ajudai-nos a ter fé, a conversar com Deus e escutá-lo. Ó querida Mãe, abri vossos braços e abraçai...(fala-se o nome do enfermo) e concedei-lhe uma morte iluminada por Deus. Pedi a Deus que perdoe todas as suas faltas e seja misericordioso, socorrendo-o (a) na passagem para a vida eterna. Fazei-o (a) merecedora (o) na passagem da vida eterna junto a vós e a Jesus, seu Filho amado. Nossa Senhora da Boa Morte, peço-vos a graça de nos dar a força necessária para assumir, com amor, as horas difíceis a serem enfrentadas, aceitando a vontade de Deus, seus desígnios eternos e impenetráveis. Amém.
(Elam de Almeida Pimenttel)