Pular para o conteúdo principal

A oração escondida no fim da Ave-Maria


Se permitirmos, Nossa Senhora nos acompanhará


rogai por nós pecadores, agora e na hora de nossa morte.”
Eu aprendi essas palavras no início da minha infância. Eu aprendi os sons, a colocação das pausas; eu até dominei a arte de misturar minha voz com outras vozes para formar uma única onda de súplica. Mas depois de anos de Ave-Marias, um dia me ocorreu que havia um pedido escondido nas palavras finais da oração.
“Na hora de nossa morte”. Nós estamos pedindo que Maria reze por nós no momento mais importante de nossa vida, quando a alma deixa o corpo e se coloca diante de Nosso Senhor, quando a eternidade – para o bem ou para o mal – estende-se diante de nós.
Mas, parece-me que a expressão “na hora de nossa morte” pode significar algo a mais. Um ano ou dois atrás eu estava orando na esteira da academia. Em algum momento, eu tive um pensamento: há dois tipos de morte! Não há somente a morte corporal, mas também a morte do eu, a morte do “velho homem” a que São Paulo se refere (a parte de mim voltada a Deus e a parte ligada a mim mesmo e ao pecado).
E não precisamos do apoio de Nossa Senhora no momento dessa “morte” também?
Agora, eu entendo este pedido da Ave Maria, que engloba tudo isso: rogai por mim agora; rogai por mim na hora da minha morte física e rogai por mim no momento das minhas pequenas mortes diárias – naquelas vezes em que sou chamado a enterrar o “velho eu” para que, morto para o pecado, eu possa elevar-me à plenitude da vida em Cristo.
“Retirai a vossa antiga natureza que pertence ao vosso modo de vida anterior …”, diz São Paulo, escrevendo aos Efésios, “e revestiram-se da nova natureza, criada segundo a semelhança de Deus”.
“Desconsiderar nossa velha natureza” não é uma espécie de morte? Uma morte que também tememos e da qual fugimos diariamente? Às vezes sinto-me tentada a pensar que um martírio corporal de uma só vez soa relativamente simples, em comparação com a perspectiva de sacrificar minha vontade dia após dia.
É aqui que entra Nossa Senhora. Posso correr até ela com meus medos, com minhas imagens terríveis sobre o que o futuro me reserva e com minha fraqueza absoluta. Rogai por mim AGORA – em todos os meus problemas atuais, medos e lutas. E na hora da morte – nessas horas de pequenas mortes de si mesmo e na hora do fim, em que eu vou ser levado diante do tribunal.
Assim como ela ficou com Cristo até o último momento, ela nos acompanhará, se a deixarmos. Ela deseja nos sustentar em nossas mortes diárias para que ela possa nos ver chegar vitoriosos diante de Cristo em nossa derradeira hora .
Nossas batalhas são reais! Nossas pequenas lutas contam! Mas não podemos conquistá-las sozinhos. Rezemos fervorosamente, então, com sinceridade e confiança à nossa Mãe fiel:
Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém

http://pt.aleteia.org/2017/03/30/a-oracao-escondida-no-fim-da-ave-maria/?utm_campaign=NL_pt&utm_source=daily_newsletter&utm_medium=mail&utm_content=NL_pt

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Novena dos "54 terços"

A "Novena do Rosário de 54 dias" é uma ininterrupta série de Rosários em honra de Nossa Senhora, revelada à doente incurável Fortuna Agrelli, por Nossa Senhora de Pompéia, em Nápoles, Itália, no ano de 1884. Por 13 meses Fortuna Agrelli sofria de terríveis dores e nem mesmo os médicos mais célebres conseguiam curá-la. Em 16 de Fevereiro de 1884, a menina e seus pais começaram uma novena do Rosário. A Rainha do Santo Rosário a premiou com uma aparição a 3 de março. Maria sentava-se sobre um alto trono, contornado por numerosas figuras; trazia o Seu Divino Filho sobre o colo e na mão um rosário. Nossa Senhora e o Menino Jesus estavam acompanhados por São Domingos e Santa Catarina de Sena. O trono estava decorado com flores, a beleza de Nossa Senhora era maravilhosa. A Santa Virgem disse: "Filha, você me invocou com vários títulos e sempre obteve favores de mim. agora, posto que me invocou com o título que muito me agrada, 'Rainha do santo Rosário', não posso mais …

Terço da Virgem Poderosa

Creio em Deus Pai...
Pai Nosso....
Três Ave Maria. ..

Nas contas Grandes. 
Magníficat
A minha alma glorifica o Senhor. 
Meu espirito se alegra em Deus, meu Salvador. 
Porque pôs os olhos na humildade da sua serva. 
Doravante todas as gerações me proclamarão Bem-aventurada. 
Porque o Todo-poderoso fez em mim maravilhas. 
Santo é o seu nome. 
A sua misericórdia se estende de geração em geração 
sobre aqueles que o temem. 
Ele manifesta maravilhas com o seu braço: 
Dispersa corações orgulhosos. 
Derruba o trono dos poderosos, 
e exalta os humildes. 
Aos famintos ele enche de bens 
Despede os ricos de mãos vazias. 
Socorre seu povo, seu servo, 
lembrando sua própria misericórdia. 
Como havia prometido aos nossos Pais, 
em favor de Abraão e de sua descendência 
Para sempre. (Lc 1,46-55)

Nas Contas Pequenas.
Ave Maria, Virgem Poderosa,
Imaculada Conceição Rainha das Vitórias, que Vossas Lágrimas de  Sangue destruam as forças do inferno. Que assim seja

No vezes Glória:
A Cruz Sagrada seja Minha Luz, não  seja o dragão …

Despedida de solteira com adoração ao Santíssimo inspira casais católicos

Uma despedida de solteira diferente e católica, assim foi o último dia antes do casamento de Verônica Mendes, que testemunhou esta experiência nas redes sociais e está inspirando vários casais. No dia 6 de agosto, Verônica publicou em seu Facebook a foto em que aparece ajoelhada diante do Santíssimo Sacramento, com o título “Minha despedida de solteira”. A publicação ganhou grande repercussão, alcançando cerca de 700 compartilhamentos, milhares de curtidas e centenas de comentários. No post, ela descreve que “após o momento de diversão” preparado por suas amigas, elas a conduziram ao “andar debaixo da Comunidade, onde estava Jesus, me esperando”. “Pétalas de rosas vermelhas adornando o chão, que me recordaram o amor e o sangue de Jesus derramado por nós, meu nome e do meu noivo próximos ao Sacrário e um véu para moças casadas, lindo de emocionar”. Segundo Verônica, ela havia passado a semana exausta, estava nervosa, ansiosa e ainda tinha algumas coisas do casamento – que seria no dia segu…