terça-feira, 1 de setembro de 2015

"Bendita entre os povos": o primeiro texto mariano "português"

A coleção Philokalia apresenta no volume nº 15 a edição bilingue de todos os escritos de Potâmio, primeiro bispo conhecido de Lisboa que desenvolveu a sua ação pastoral e teológica em meados do século IV.

O sinal da Cruz e a Eucaristia
«De facto, uma vez que as mãos, juntamente com os braços, que são os seus pais, formam a imagem da cruz, com razão mereceram tão grandes reconhecimentos da sua dignidade, a ponto de também fazerem o sinal da cruz na fronte, tocarem o corpo de Cristo e, levando à boca que bendirá o Senhor o sacramento da Eucaristia como alimento quotidiano, reconhecem as sendas das boas obras com as suas idas e vindas.» (Epistola sobre a Substância)

As lágrimas de Cristo, homem e Deus
«Chorava Deus comovido por causa das lágrimas dos mortais e, tendo chamado Lázaro do laço da morte, confiado em seu poder, prestava o obséquio da piedade com a consolação das lágrimas. 
Chorava Deus, não porque estivesse convencido de que diante de si o morto estava perdido, mas porque com isso mitigava o pranto das irmãs. 
Chorava Deus para, como Deus, mostrar com as suas lágrimas e a sua piedade o que os homens deviam fazer uns pelos outros.
Chorava Deus, porque os mortais tinham prevaricado até ao ponto de amarem os infernos, depois de se afastarem das coisas eternas. Deus chorava, porque o diabo fez com que fossem mortais os que podiam ser imortais. 
Chorava Deus, porque aqueles a quem Ele tudo concedera e submetera ao seu poder, e a quem até colocara à frente do paraíso com as suas flores e lírios, sem dificuldade nenhuma, o diabo, ao ensinarlhes o pecado, os espoliou de quase tudo. 
Chorava Deus, porque aqueles a quem Ele criara inocentes, o diabo, pela sua malícia, fez com que se achassem culpados.» (Sobre Lázaro)


Por toda a parte, os pés do Senhor
«Por toda a parte, os pés do Salvador, por onde quer que se movam, encontram os beijos. Se se pede um copo de água fresca, não se recusa o pão; quando se vai para casa, relatam-se os milagres de Cristo.» (Sobre Lázaro)

Bendita entre os povos (o primeiro texto mariano “português")
«Só a Virgem Mãe de Deus, a única pomba que para nós é mais fértil na sua fecundidade, deve levantar a sua cabeça coroada com seus louros até às nuvens do céu. Que ela seja bendita entre os povos, consagrada mui merecidamente pela unidade da Trindade, de cujo louvor ela está cheia desde agora e para sempre nos eternos séculos dos séculos.» (Epístola a Atanásio)

Isidro Lamelas
Especialista em Patrística, professor da Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesar
In Potâmio de Lisboa, ed. Alcalá
15.11.12


http://www.snpcultura.org/bendita_entre_os_povos_primeiro_texto_mariano_portugues_potamio.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário