sábado, 7 de março de 2015

O que esperar do seu futuro marido?




Por Elenilda Rocha

Ah! Que estou aguardando aquele destemido e austero antigo cavaleiro que <<entrou em carreira de morte>>. Um homem – católico, íntegro – comprometido com a salvação de sua alma, inquieto com o sentido de sua existência; que se sinta atraído de modo singular pelo absoluto e pelo eterno; que não condicione a sua busca pela santidade e perfeição a mil vicissitudes (trabalho, estudo, lazer, diversão, prazer, conveniência, etc), mas que seja o resultado de uma decisão resoluta e de uma vontade perseverante capaz de impregnar a sua vida temporal com os valores do Evangelho da Vida; que tenha coragem de assumir com generosidade as renúncias em busca da Bem-Aventurança Eterna; que esteja alegremente disposto a fazer todos os sacrifícios necessários para amar corretamente; que não tenha receio de percorrer o caminho duro e áspero que conduz à Vida; que se interrogue dia e noite sobre a vontade de Deus pra sua vida; que medite a Palavra de Deus; em suma, que não permita entreatos na sua busca pela santidade e perfeição.

O meu esposo poderá ser um homem sem instrução, desde que ele busque em tudo agradar somente a Deus. Poderá ser um homem letrado também, ele só terá que ter aquela “simplicidade que, através dos bens passageiros e de todas as criaturas, somente a Deus vê e procura” – S. Francisco de Assis. Afinal, não é preciso ser considerado aos olhos do mundo, ser bem-sucedido, para levar uma vida agradável a Deus; nem ser tido como sábio, para conhecer a vontade dEle; a única coisa necessária é amar a Deus e em tudo cumprir com a sua amorosa vontade; é sob essa condição que alcançamos a perfeição. Além disso, ele deverá me escolher, me amar sem interesse, perceber-se venturoso por me ter como esposa. Acreditando nesta realidade: “Na força da ressurreição, torna-se possível a vitória da fidelidade sobre as fraquezas, sobre as feridas recebidas e sobre os pecados do casal. Para eles, a bondade do amor, de que o desejo humano ferido sentia saudade, revela-se com novas acentuações e possibilidades. Na graça de Cristo que renova o seu coração, o homem e a mulher tornam-se capazes de conhecer a alegria do dom recíproco” (Bento XVI).

Que o meu coração seja a alegria, a satisfação e a compensação do meu esposo!

*Meu muito obrigada à amiga Elenilda por compartilhar conosco esta belíssima oração!

Em Jesus e Maria,

Débora Cristina

https://aformacaodamocacatolica.wordpress.com/category/namoro-santo/

Nenhum comentário:

Postar um comentário