sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Gratidão

Quando devo gratidão a alguém, osso expressá-la por palavras ou atitudes. Isto não tem nada a ver com retribuição, então estamos “quites”. Faço com que minha obra seja “quitada”, para mostrar ao outro que agora ninguém mais tem nada a dar. E assim morre a gratidão. Pois ela precisa de liberdade. Sendo interesse ou compensação. Às vezes os pais dão muito aos filhos e esperam retribuição agradecida por longos anos. Este tipo de gratidão forçada sobrevive com amargura.
Anselm Grün.

Nenhum comentário:

Postar um comentário