segunda-feira, 12 de novembro de 2012

"SANTA MÃE DE DEUS, AUXÍLIO DOS CRISTÃOS"


Santa Mãe de Deus,
Auxílio dos cristãos!
Pela intercessão de São Josemaria
– que viveu como uma "chama viva de amor",
irradiando luz e calor de Deus – ,
eu vos peço que olheis para nós
com esses vossos olhos misericordiosos
e nos livreis da doença mortal da tibieza,
que gela a alma,
asfixia o Amor de Deus
e destrói a caridade para com os nossos irmãos.
Lembrai-nos sempre, Mãe,
das palavras que Jesus inspirou ao vosso filho São João
na ilha de Patmos, quando escrevia o Apocalipse:
Ao anjo da Igreja de Laodicéia, escreve:
– Conheço as tuas obras:
não és nem frio nem quente.
Oxalá fosses frio ou quente!
Mas, como és tíbio,
nem frio nem quente,
estou para te vomitar da minha boca.
***
Esposa do Espírito Santo,
Mãe da divina graça!
Fazei-nos compreender que as alegrias de Deus,
que ninguém pode tirar
,
só podem ser usufruídas pelas almas que se empenham
em viver a sério a santidade a que Jesus nos chamou:
Sede, pois, perfeitos,
como é perfeito o vosso Pai que está nos céus.
Fazei-nos entender, Mãe nossa,
que essas alegrias,
intimamente unidas à
paz que o mundo não pode dar,
são fruto do Espírito Santo
– que é o Amor no seio da Trindade – ,
da docilidade à sua Graça, às suas inspirações
e, sobretudo, aos seus sete Dons.
Que vejamos que elas são
fruto da vida interior,
da união com Cristo na Cruz,
da mortificação generosa;
da vibração apostólica,
da entrega
aos que ignoram e erram,
da solicitude para com os que sofrem
e da caridade para com todos.
Que compreendamos que essas alegrias
procedem somente do "fogo de Cristo"
– o divino Espírito Santo! –
que a alma em Graça leva,
como num templo,
dentro do coração.
***
Por isso, Mãe, nós vos pedimos:
– Não permitais que esse fogo se apague.
Livrai-nos do desleixo espiritual,
da moleza consentida,
da displicência nas coisas de Deus,
da piedade formal e do dever rotineiro,
da indiferença para com o próximo,
da conivência disfarçada com as tentações,
do desejo mascarado de tirar uma lasquinha
de cada um dos sete pecados capitais.
Mãe da divina Graça,
curai as chagas abertas na alma
pelo nosso egoísmo – "vento gelado"
que apaga as chamas de Pentecostes –,
e pelo nosso amor-próprio mesquinho,
que se empenha em entronizar o "eu",
com seus "gostos", "vontades" e "vaidades",
no altar do coração onde só Deus deveria reinar.
Livrai-nos de querer justificar a nossa negligência
com mil desculpas tíbias e "razões sem razão".
Fazei-nos compreender com luzes claras
que a tibieza – para dizê-lo com palavras de São Paulo –
contrista o Espírito Santo de Deus...
Francisco Faus
A TIBIEZA
E OS DONS DO ESPÍRITO SANTO

Nenhum comentário:

Postar um comentário