segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Chegou perto, viu e sentiu compaixão

Por causa do pecado original o olhar que dirigimos aos nossos irmãos está marcado com uma dupla distorção: a distância e a inimizade.

Olhamos para o irmão não como "próximo" e amigo.

Ao vir a este mundo, Nosso Senhor nos trouxe um outro olhar.

Na cruz, Jesus olha para nós, seus inimigos (cf. Rom 5, 10), e reza: "Pai, perdoa-lhes! Eles não sabem o que fazem." (Lc 23, 34).

É Ele o verdadeiro Bom Samaritano que se fez próximo da humanidade e, com misericórdia, cuidou de nossas feridas. Aboliu a inimizade e a distância entre samaritanos e judeus.

Na batalha espiritual que nós cristãos vivemos, devemos aprender de Jesus este olhar espiritual e compassivo. Nosso irmão não é nosso inimigo, mesmo que ele nos persiga.
 
Inimigos são os anjos decaídos. Nossos irmãos são suas vítimas. E nós cristãos os enfermeiros.
 
Como bons samaritanos, enfermeiros da humanidade, joguemos sobre suas feridas o óleo reconfortante do amor de Deus e o vinho vigoroso do desafio à conversão.
 
Nossos irmão não são nossos inimigos. Nem mesmo os católicos liberais apóstatas. Eles querem fazer o "milagre" do anticristo e transformar o vinho robusto do evangelho na água insípida do acordo com o mundo.

Mas também eles são vítimas dos embustes demoníacos.

Sejamos seus enfermeiros, jogando sobre suas feridas o óleo do amor e o vinho do desafio para que se convertam. T

Nenhum comentário:

Postar um comentário