O princípio de uma grande obra


Nenhum texto alternativo automático disponível.
O texto abaixo é uma recomendação feita em 1859, por São João Maria Vianney, o Santo Cura de Ars, a dois autores -- Ernest Hello, e Jorge Seigneur -- que lhe pediram conselhos sobre como fazer um jornal católico. 


“O princípio de uma grande obra deve ser pequeno. Não é a questão financeira que vos deve afligir. Tudo o que Deus quer se arranja, não se sabe como. Tereis o necessário auxilio, e, mesmo faltando este, deveis começar.

Vivemos em um mundo miserável. Deveis expor esta miséria e dizer a verdade sem acepção de pessoas. Há uma massa de mentiras e de erros que deveis dissipar, sem olhar para as pessoas que os espalham. 

Deveis combater o erro mesmo entre os católicos, pois estes têm menos direito – se posso falar de direito – do que os outros para pregar idéias errôneas. Amai os vossos adversários. Rezai por eles, mas não deveis fazer-lhes cumprimentos. É tempo perdido. 

Não procureis agradar a todos, nem podeis a todos agradar. Procurai agradar a Deus e seus Anjos e Santos: eis o vosso público! Mas vós, meus filhos, dir-me-eis que os homens não são demônios. Sem duvida, muitos não são demônios. 

Mas em todos que não estão unidos intimamente a Cristo está latente alguma coisa diabólica: e contra isso deveis levantar-vos como executores de justiça.

O erro é um obstáculo para a união. Meu Deus, quão inexaurível é a verdade, quão imarcescível, quão repleta de vida! Mais uma vez, não deixeis jamais de combater o erro. 

E para isto, gastai a maior parte de vosso tempo. Começai, pois, e perseverai ! Não vos deixeis intimidar pela contradição. Contradição não vale nada. Fareis bem e muito bem”. 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Novena dos "54 terços"

Ladainha à Nossa Senhora da Defesa.

LADAINHA DE NOSSA SENHORA EM LATIM