Eu morri por seu pecado, viva por mim

CRUCIFIXED


Nesta pandemia perdemos absolutamente o controle da nossa vida, mas fortalecemos a certeza de que o único capaz de salvar a humanidade do sofrimento é Jesus Cristo

Vivemos um tempo triste. A esperança parece ter desaparecido, os dias têm sido mais nublados e a vida parece não progredir. São tempos que nos exigem uma verdadeira coragem. Coragem para caminhar em meio ao caos e a escuridão que assolou toda a terra. Vivemos um tempo de recolhimento. Tempo este que tem exigido de cada um de nós coragem para deparar-nos em frente ao espelho olhando e observando tudo o que somos.
Vivemos um tempo que nos obrigou, de alguma forma, a passar pelo deserto. Afinal, antes deste tempo dificilmente olhávamos para nós mesmos e refletíamos sobre o verdadeiro valor das coisas mais simples da vida. Fomos obrigados a saber lidar com uma angústia que não cessa, com dias sem cores e com a incerteza de dias melhores. Fomos obrigados a reavaliar, de alguma forma, tudo aquilo em que acreditamos. Fomos obrigados a achar, de uma forma ou de outra, o sentido para viver em meio ao vazio existencial que tem atingido milhares de pessoas no mundo inteiro.
Vivemos um tempo que nos possibilitou a oportunidade de ressignificar muitas coisas. Ressignificamos relacionamentos amorosos, sociais e familiares, nossa profissão, nossa rotina e tudo aquilo em que acreditávamos ou não.
Começamos a perceber ainda mais a importância de acreditar em Deus, de praticarmos uma verdadeira fé todos os dias e de darmos sentido a todo esse caos que nos desestabilizou e que nos provou, da forma mais dura, que não somos absolutamente nada sem Deus. Nós não temos o poder de salvar quem amamos, não temos o poder de livrar a Humanidade inteira de um sofrimento que tem corroído os dias que, antes, achávamos que eram cheios de vidas.
Este tempo nos deu a oportunidade de ressignificar o nosso valor, o nosso conhecimento e até aonde o seres humanos são capazes de chegar. Perdemos absolutamente o controle de nossas vidas.
De uma forma especial, este tempo nos mostrou e provou a muitos que nós definidamente não somos “deuses” de nossas vidas, e que sem a misericórdia de Jesus jamais seremos salvos. Vivíamos achando que nos bastávamos. De alguma maneira, tínhamos a certeza de que bastava um bom emprego, um status e uma boa vida financeira para que fôssemos realmente felizes e repletos de vida. Esse tempo difícil e cinza veio para ressignificar absolutamente tudo, e para jogar no lixo todas as nossas certezas – incertas.
Percebemos que não somos “deuses” de nossas vidas e que o único capaz de salvar a humanidade inteira do sofrimento – inclusive você que está lendo este texto e eu que escrevo – é Jesus Cristo. Através dessa percepção, começamos a perceber com clareza que o lugar certo para cada um de nós é aos pés da Cruz de Jesus. É Ele quem nos dá a força e a alegria necessárias para passar pelas adversidades da vida. É Ele quem salva. É Ele, o único que possui o poder de transformar dias cinzas em dias mais coloridos e cheios de vida desde o amanhecer até o anoitecer. É Ele quem dá o sentido para os nossos sofrimentos – sejam eles quais forem. É Ele quem nos capacitará e nos dará a coragem de guerreiros valentes para passarmos por isso e testemunharmos, no futuro, o quão bom e misericordioso Jesus Cristo é.
Desejo que você e eu encontremos sempre o sentido e a alegria de viver Naquele que transformou a morte dolorosa e cruel em vida.
Sigamos firmes e confiantes. Nova manhã, Jesus Cristo e seu eterno amor, faz ressurgir.

https://pt.aleteia.org/2020/07/24/eu-morri-por-seu-pecado-viva-por-mim/?utm_campaign=NL_pt&utm_source=daily_newsletter&utm_medium=mail&utm_content=NL_pt

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Novena dos "54 terços"

Ladainha à Nossa Senhora da Defesa.

LADAINHA DE NOSSA SENHORA EM LATIM