Nossa Senhora do Carmo: origem e história

OUR LADY OF MOUNT CARMEL

A devoção ao escapulário na história da Igreja é muito parecida com a do rosário

No dia 16 de julho, celebramos a memória mariana de Nossa Senhora do Carmo. São muitos os textos da Ordem do Carmo e de histórias sobre o assunto, que se tornaram de domínio público. Ao adentramos na história da Igreja, encontramos uma linda página marcada pelos homens de Deus, mas também pela dor, fervor e amor a Virgem Mãe de Deus: é a história da Ordem dos Carmelitas, da qual testemunha o Cardeal Piazza: “O Carmo existe para Maria, e Maria é tudo para o Carmelo, na sua origem e na sua história, na sua vida de lutas e de triunfos, na sua vida interior e espiritual”.
A palavra ‘carmelo’ vem do hebraico ‘carmo’ e significa ‘vinha’, e ‘el’ significa ‘Senhor’; portanto, “Vinha do Senhor”. Este nome nos remete à famosa montanha da Palestina de onde o profeta Elias e o sucessor Elizeu fizeram história com Deus e com Nossa Senhora, que, conforme uma interpretação piedosa, foi prefigurada numa pequena nuvem. (Cf. 1 Rs 18,20-45).
O Monte Carmelo, na Palestina, é o lugar sagrado do Antigo e do Novo Testamento. É o monte em que o Profeta Elias evidencia a existência e a presença do Deus verdadeiro, vendo os 450 sacerdotes pagãos do Baal, fazendo descer do céu o fogo devorador. (I Reis, 18, 19ss). É, ainda, o Profeta Elias que implora ao Senhor chuva benfazeja, depois de uma seca de três anos e três meses. (1Re, 18, 45). É no Monte Carmelo que a tradição colocou a origem da Ordem Carmelitana. Ali viviam eremitas entregues à oração e à penitência.
Devido a perseguições aos cristãos na Terra Santa, o grupo de eremitas do Monte Carmelo acabou vindo para a Europa, se estabelecendo na Inglaterra, onde vivia Simão, um também eremita que se uniu a eles. Simão era penitente, como o Profeta Elias, austero como João Batista. Diante de sua vida solitária na convexidade de uma árvore no seio da floresta, deram-lhe o apelido de Stock.
Já vivendo com os eremitas do Carmelo, e depois por passar várias dificuldades em sua vida, São Simão teve a inspiração e confirmação mariana de sua vida e sua ordem no dia 16 de julho de 1251. Ele suplicava com maior empenho à Mãe do Carmelo sua proteção, recitando a bela oração por ele composta: “Flor do Carmelo, vinha florífera, Esplendor do céu, Virgem fecunda, singular. Ó Mãe benigna, sem conhecer varão, aos Carmelitas dá privilégio, Estrela do Mar”!
Terminada esta oração, levanta os olhos marejados de lágrimas, vê a cela encher-se, subitamente, de luz. Rodeada de anjos, em grande cortejo, apareceu-lhe a Virgem Santíssima, revestida de esplendor, trazendo nas mãos o escapulário, dizendo a São Simão Stock, com inexprimível ternura maternal: “Recebe, diletíssimo filho, este escapulário de tua Ordem como sinal distintivo e a marca do privilégio que eu obtive para ti e para todos os filhos do Carmelo; é um sinal de salvação, uma salvaguarda nos perigos, aliança de paz e de uma proteção sempiterna. Quem morrer revestido com ele será preservado do fogo eterno”.
A devoção ao escapulário na história da Igreja é muito parecida com a do rosário, constituindo-se numa das mais antigas e populares formas de devoção a Virgem Maria. O escapulário é um sacramental, ou seja, uma realidade visível, que nos conduz a Deus, com sua graça redentora, seu perdão e promessas. Santa Teresa (reformadora da Ordem das Freiras Carmelitas, juntamente com São João da Cruz) dizia que portar o escapulário era estar revestido com o hábito de Nossa Senhora.
A Bem-Aventurada Virgem Maria, Nossa Senhora do Carmo, aparece na vida de São Simão com um grande olhar de misericórdia e compaixão. Com a vida de Nossa Senhora do Carmo, percebemos o quanto ela olha para os seus e se compadece. Maria é a mulher da misericórdia e a mulher que sempre estende as mãos para ajudar os seus filhos que passam por necessidades e dificuldades.
Peçamos a Nossa Senhora do Carmo que nos ajude a caminhar na misericórdia, no amor, na paz e na fraternidade. Esta devoção mariana quer nos ajudar a não desanimarmos diante das perseguições, e procurar, revestidos de Maria, continuarmos firmes no Senhor, confiando em sua providência. Com a experiência da misericórdia de Deus, temos a certeza de sermos sinais dessa mesma misericórdia aos outros. Que diante das “secas das vidas de tantas pessoas”, o Senhor nos ajude a profetizar que a “nuvem de chuva que chega” nos vem pela intercessão de Maria para que sejamos fiéis seguidores do Senhor, mesmo com tantos falsos profetas ao redor.
Que a vida de oração no monte de Deus nos acompanhe nesses dias para “contemplar o Deus misericordioso”. Que a Virgem Mãe nos ampare em todas as dificuldades. Nossa Senhora do Carmo, rogai por nós!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Novena dos "54 terços"

Ladainha à Nossa Senhora da Defesa.

LADAINHA DE NOSSA SENHORA EM LATIM