sexta-feira, 19 de agosto de 2016

"Nós deixamos tudo e te seguimos. Que haveremos de receber?”


Como nos dá trabalho a nossa natureza humana!

Que dura luta!
Mesmo estando perto de Jesus, ainda assim,  vemos o quanto a nossa natureza nos exige o que não nos convém e nos leva para onde não devemos ir.
No evangelho de hoje, enquanto Jesus falava do perigo da riqueza, enquanto Jesus dizia que dificilmente um rico entrará no Reino dos céus, Pedro surgiu com uma pergunta que revelou o quanto ele ainda estava longe de ser um verdadeiro discípulo.
É impactante ver Pedro fazendo tal pergunta dentro de um contexto em que Jesus advertia os discípulos sobre o mal que há no apego aos bens materiais. Até parece que Pedro não raciocinava bem.
Ele perguntou: “Vê! Nós deixamos tudo e te seguimos. Que haveremos de receber?”
Pobre Pedro! Até parece que você não entendeu nada do que Jesus falou! Sim, Pedro, você mostrou o quanto precisava melhorar, o quanto você era interesseiro e quão pequeno era o seu amor. Sim, seu amor era imperfeito, Pedro! Você estava querendo receber coisas de Jesus pelo fato de ter acolhido o chamado Dele. Você não se deu conta de que não era merecedor de ter sido chamado por Ele? Você não se deu conta, Pedro? 
Jesus olhou para você com misericórdia, Pedro, chamou você!
Pedro! Pedro! Onde estava sua cabeça?
Acreditamos que Jesus não deve ter gostado de sua pergunta, Pedro, mas, mesmo assim, Ele respondeu:"Em verdade vos digo, quando o mundo for renovado e o Filho do Homem se sentar no trono de sua glória, também vós, que me seguistes, havereis de sentar-vos em doze tronos para julgar as doze tribos de Israel. E todo aquele que tiver deixado casas, irmãos, irmãs, pai, mãe,filhos, campos, por causa do meu nome, receberá cem vezes mais e terá como herança a vida eterna."
Pois bem, Pedro, embora a sua pergunta tenha revelado que você agia movido por interesses, ela fez com que Jesus nos falasse sobre o quanto Deus é generoso para com os que deixam tudo a fim de seguir os passos de Jesus, para com os que são generosos, que são capazes de renunciar algumas coisas pelo bem dos outros.
De qualquer forma, Pedro, nós saímos ganhando com a sua tão mesquinha pergunta.
Todavia, já que agora você está diante de Deus e não mais carrega as mazelas humanas, interceda por nós, pois a nossa natureza ainda nos dá muito trabalho e insiste em permanecer onde não pode e não deve.
Rogue por nós, Pedro! Peça a Jesus para que tenhamos um coração generoso, desinteressado, humilde.

Que assim seja!

@Catholici 

Nenhum comentário:

Postar um comentário